"Sendo a última profissão romântica, a Medicina será sempre de melhor Qualidade
quando praticada por homens de cultura",João Cid dos Santos
Pagina PrincipalAjudaContactos Idioma Ingl�s > em prepara��o Idioma Portugu�s Tamanho de Letra Reduzido Tamanho de Letra Aumentado
   
  Portugal, Sexta-Feira, 25 de Abril de 2014
05:51:12
» Contratação de 200 médicos      » Alertas do Infarmed - Importante      » Proposta de alteração dos Estatutos da OM      » Software para interacção com o novo cartão da OM      » Denúncia de substituição indevida de medicamentos      » Medicamentos de venda exclusiva em farmácia     
 
Nova Cédula Profissional
Protocolo Santander-Totta
BioBanco-IMM
Acta Médica Portuguesa
 

Notícias

RESUMO DO PROJECTO PARA A COMUNIDADE NÃO CIENTÍFICA

Nome do estudo:
EpiReumaPt – Estudo Epidemiológico das Doenças Reumáticas em Portugal
De referir que EpiReumaPt é o nome científico do projecto, sendo que para a população em geral, por uma questão de simplificação do conceito, será referido como ReumaCensus.

O projecto EpiReumaPt – aspectos fundamentais
O EpiReumaPt é um projecto que pretende responder a uma lacuna há muito existente em Portugal, relativamente à prevalência das doenças reumáticas. Os resultados obtidos com um estudo desta dimensão serão cruciais para a projecção de novas políticas da saúde nesta área clínica.
Tendo em conta que as doenças reumáticas, nos países desenvolvidos, são a primeira causa de incapacidade laboral, facilmente se depreenderá a pertinência dos resultados obtidos na contribuição da programação de novas políticas da saúde, e o reflexo destas na economia do país.
É esta a base que sustenta e move a realização deste projecto.

Características do estudo:
O EpiReumaPt é um estudo epidemiológico (estudo da população), observacional, transversal e terá a duração de 4 anos. Pretende por isso “fotografar” a realidade portuguesa no que respeita às doenças reumáticas.

Este projecto contribuirá decisivamente para a execução do Plano Nacional de Saúde através do desenvolvimento do Programa Nacional Contra as Doenças Reumáticas (PNCDR), quer na promoção da saúde das populações, nomeadamente no grupo específico dos doentes reumáticos, quer na obtenção de ganhos em saúde constituindo o foco da investigação os seguintes aspectos:
•  determinação da prevalência das seguintes doenças reumáticas (DR): osteoartrose (joelho, anca e mãos), lombalgia, osteoporose fracturária, doenças reumáticas periarticulares, fibromialgia, artrite reumatóide, espondilartrites, espondilite anquilosante, lupus eritematoso sistémico, polimialgia reumática e gota.
•  obtenção de dados sobre qualidade de vida, capacidade funcional, capacidade laboral e da utilização dos cuidados de saúde e a sua comparação entre participantes com e sem DR.
•  A criação das duas coortes, para seguimento prospectivo futuro, permitirá conhecer a evolução natural das DR em estudo (na coorte de doentes) e a incidência das DR (na coorte de saudáveis).

A amostra será representativa da população portuguesa e serão recrutados cerca de 10.000 portugueses, em Portugal Continental e nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, segundo um método aleatório.
É importante clarificar que este estudo não é um rastreio, pelo que as pessoas não se poderão voluntariar, de forma espontânea, a participar. Ao invés disso, os seleccionados pelo método de aleatorização serão convidados a participar. O convite será feito por um entrevistador do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião (CESOP) da Universidade Católica Portuguesa que visitará o domicílio.

O objectivo principal do estudo é calcular a prevalência das doenças reumáticas (DRs) em Portugal e tem como objectivos específicos, estimar a prevalência das diferentes DRs em Portugal de acordo com as características sócio-demográficas; identificar factores sócio-demográficos e clínicos associados ao diagnóstico de cada patologia; estimar a prevalência de DRs previamente não diagnosticadas; determinar o impacto das DRs na qualidade de vida, função e capacidade laboral.

Metodologia de Amostragem
Para que a amostra seja representativa da população portuguesa foram tidos em conta os seguintes aspectos:
. As localidades serão seleccionadas como a primeira unidade de amostragem e, de acordo com o CENSUS 2001, em que há 27.960 localidades no continente, com uma população total de adultos de 7.719.986.
. A dimensão da amostra será estratificada de acordo com a região e a dimensão do local (< 2.000; 2.000-9.999; 10.000-19.999; 20.000-99.999; e 100.000 habitantes).
. O número de inquiridos para cada estrato será proporcional à distribuição real da população.
. Serão aleatoriamente seleccionados, a partir de um mapa, vários pontos em cada localização e as moradas serão registadas, de forma a serem visitadas pelos entrevistadores.
. Para assegurar a colheita dos dados, se não forem encontrados indivíduos na morada seleccionada, serão efectuadas para cada domicílio até 3 visitas (uma delas ao fim de semana).
. Será seleccionado em cada domicílio o indivíduo presente com a data de aniversário mais próxima do dia da entrevista.
. Os entrevistadores terão identificados, para cada local, mais 20% de moradas de domicílios, para o caso de necessidade de substituições.

1ª e 2ª fases
Os participantes serão inquiridos, numa 1ª fase, por entrevistadores (profissionais de saúde coordenados pelo Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica Portuguesa) através de um inquérito pré-definido. Dos cerca de 10.000 indivíduos recrutados, estima-se que cerca de 30% apresentem sintomatologia sugestiva de DR. Estes indivíduos serão convidados para uma 2ª fase que consiste numa avaliação por um médico Reumatologista para confirmação do diagnóstico. Além destes, também 20% dos indivíduos com indicação de diagnóstico saudável para doenças reumáticas serão convidados para serem observados pelo Reumatologista.

A consulta realizar-se-á preferencialmente na zona de residência do participante. A criação de uma unidade móvel, devidamente equipada, permitirá que seja possível ao Reumatologista requisitar e realizar, de acordo com a indicação clínica, exames complementares de diagnóstico (exames laboratoriais, radiografias e/ou medição da densidade mineral óssea) para confirmação do diagnóstico. Os participantes doentes cuja situação clínica se justifique serão encaminhados para um centro de referência de reumatologia da sua área de residência.

Resumo:

EpiReumaPt (ReumaCensus) – Estudo Epidemiológico das Doenças Reumáticas em Portugal

Promotor: Sociedade Portuguesa de Reumatologia (SPR)

Entidades Parceiras:
Direcção Geral de Saúde (DGS)
Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica Portuguesa (CESOP)
Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa (FCMUNL)

Apoios Científicos:
Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
Faculdade de Medicina da Universidade do Porto
Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra

Parceiros Sociais:
Liga Portuguesa Contra as Doenças Reumáticas (LPCDR)
Associação Nacional de Doentes com Artrites e outros Reumatismos da Infância (ANDAI)
Associação Nacional de Doentes com Artrite Reumatóide (ANDAR)
Associação Nacional da Espondilite Aquilosante (ANAE)
Associação Nacional de Osteoporose (APO)
Associação Nacional Contra a Osteoporose (APOROS)
 Associação de Doentes com Lupus (LUPUS)
Associação Nacional Contra a Fibromialgia e Síndrome de Fadiga Crónica (MYOS)

Equipa de Investigação
 
Professor Doutor Jaime da Cunha Branco (Investigador Principal):  Professor Associado com Agregação de Medicina/Reumatologia da Faculdade de Ciências Médicas (FCM), Universidade Nova de Lisboa (UNL). Director do Serviço de Reumatologia do Centro Hospitalar Lisboa Ocidental (CHLO), EPE/ Hospital Egas Moniz. Coordenador do Plano Nacional Contra as Doenças reumáticas (PNCDR). Investigador Principal do Centro de Estudos de Doenças Crónicas (CEDOC) da FMC/UNL (Centro afiliado da Fundação da Ciência e Tecnologia - FCT).

Co-Investigadores
Professora Doutora Helena Canhão - Professora Auxiliar de Medicina/Reumatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL). Reumatologista do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), EPE - Hospital de Santa Maria. Investigadora Principal do Instituto de Medicina Molecular da FMUL (Laboratório Associado da FCT). Research Fellow do Scholars in Clinical Science da Harvard Medical School, USA.
Dra. Sofia Ramiro - Licenciada em Medicina. Interna do Internato Complementar de Reumatologia do Hospital Garcia de Orta/ EPE. Doutoranda em Reumatologia no Academic Medical Center, University of Amsterdam, Holanda.
Dra. Ana Filipa Mourão - Assistente Convidada de Medicina I/Reumatologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa (FMCUNL). Reumatologista do Centro Hospitalar Lisboa Ocidental (CHLO), EPE - Hospital de Egas Moniz. Investigadora no Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) e do Centro de Estudos de Doenças Crónicas (CEDOC) da FCMUNL.
Dra. Inês Silva - Interna do 4º ano de Reumatologia do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental/Hospital de Egas Moniz; Licenciada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.
Dr. Pedro Machado - Interno Complementar de Reumatologia dos Hospitais da Universidade de Coimbra. Doutorando na Universidade de Leiden, na Holanda (Leiden University Medical Center).
Dr. Pedro Laires - Outcomes Research Manager da Merck Sharp&Dohme. Biólogo (especialidade em Genética, pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa). Mestrado em Epidemiologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Envolvido em projectos de investigação laboratorial no Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC), Departamento Genética da Universidade de Cambridge, e Bioinformática no IGC e Universidade de Aveiro.

Consultores    
Professor Doutor João Eurico Fonseca - Director do Biobanco e da Unidade de Investigação em Reumatologia do IMM/FMUL, Professor de Reumatologia da FMUL, Reumatologista do Hospital Universitário de Santa Maria. Vice-Presidente da Sociedade Portuguesa de Reumatologia (SPR).
Professor Doutor José António Pereira da Silva – Professor Associado com Agregação de Medicina/Reumatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC). Director do Serviço de Reumatologia dos Hospitais da Universidade de Coimbra, HUC-EPE. Presidente do European Board for Rheumatology.
Dra. Viviana Tavares – Reumatologista do Hospital Garcia de Orta, EPE. Presidente-Eleita da SPR. Presidente da Associação Nacional Contra a Osteoporose (APOROS).
Professor Doutor Henrique de Barros - Professor Catedrático de Epidemiologia da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP). Director do Serviço de Higiene e Epidemiologia da FMUP. Director do Instituto de Saúde Pública da UP. Coordenador Nacional para a Infecção VIH/SIDA.
Doutora Loreto Carmona - Reumatologista, Epidemiologista. Directora do Centro de Investigação da Sociedade Espanhola de Reumatologia. Coordenadora do Estudo Epidemiológico das Doenças Reumáticas em Espanha (EPISER).


Objectivos da investigação

Objectivo principal:
Calcular a prevalência das doenças reumáticas em Portugal

Objectivos específicos:
. Estimar a prevalência das diferentes doenças reumáticas em Portugal
. Identificar factores sócio-demográficos e clínicos associados ao diagnóstico de cada patologia
. Estimar a prevalência das doenças reumáticas previamente não diagnosticadas
. Determinar o impacto das doenças reumáticas na qualidade de vida, função e capacidade laboral.

Dimensão da Amostra:
10 000 participantes

Recrutamento
Data prevista do início: Setembro de 2011
Data prevista da conclusão: Setembro 2013

População do estudo (critérios de inclusão e critérios de exclusão)
A população do estudo será composta por adultos (≥ 18 anos), não institucionalizados, que vivam em casas privadas no Continente e nas Regiões Autónomas da Madeira (RAM) e dos Açores (RAA). Estimou-se que para o cálculo da prevalência das DRs mais relevantes, seria necessário uma amostra total de 10 000 indivíduos, 8000 no continente e 1000 para cada uma das RAM e RAA. Considerando o número da população das RAM e RAA em relação à do continente, seriam apenas necessários 200 a 250 indivíduos em cada uma das RA. Far-se-á contudo uma sobreamostragem que permitirá uma melhor análise das DRs mais frequentes nas duas RA.
Os critérios de exclusão incluem indivíduos institucionalizados, que vivem em edifícios militares ou prisões, indivíduos que não compreendam e falem português, indivíduos incapazes de responder ao questionário ou de conferir o seu consentimento para o estudo.

Participação de crianças e jovens com idade inferior a 18 anos:
Para uma melhor compreensão global da prevalência das doenças reumáticas, os inquiridores perguntarão se algumas das crianças ou jovens residentes naquele domicílio, sofre de doença reumática. Em caso afirmativo, e com o consentimento dos pais e assentimento da criança/jovem, esta também será elegível para observação por reumatologista e confirmação/exclusão do diagnóstico na segunda fase do estudo.

Nota:
Este estudo será conduzido de acordo com as boas práticas clínicas e regras da Declaração de Helsínquia. O estudo não condiciona alterações na terapêutica dos participantes doentes.
Foi autorizado pela Comissão Nacional de Protecção de Dados e pela Comissão de Ética da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa.

 

 
 
© 2006-2009 Ordem dos Médicos. Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser copiado, publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Desenvolvido por Novos Domínios.com, S.A.
 
 
Pagina Principal